Quem tem intimidade com o mercado de investimentos já deve estar cansado de ouvir sobre a importância de conhecer o perfil do investidor para recomendar investimentos. Apesar de ser um tema comum para muita gente, precisa ser revisado de tempos em tempos, pois é questão certa nas provas de certificação financeira. 

Numa definição rápida, podemos dizer que a Análise do Perfil do Investidor (API) orienta o investidor a identificar o seu perfil e a verificar a adequação dos produtos de investimentos. Ela é feita a partir de um questionário prévio, também chamado de Suitability, que avalia a disponibilidade e a capacidade ao risco, auxiliando o cliente na tomada de decisão. 

OS 3 PERFIS DO INVESTIDOR

Antes de mais nada, precisamos esclarecer que não existe certo ou errado quando o tema é o perfil do investidor. O perfil de cada pessoa está relacionado às suas preferências individuais, que têm relação direta com a tolerância aos riscos. Veja aqui os 3 tipos de perfil do investidor.

PERFIL CONSERVADOR

Como é de se esperar, os investidores com perfil conservador têm baixa tolerância aos riscos, o que significa que colocam a segurança financeira em primeiro lugar. E quando falamos em reduzir riscos, também falamos em reduzir a rentabilidade. Esse tipo de investidor costuma colocar o seu dinheiro no Tesouro Direto, Fundos de Renda Fixa, LCA, LCI e CDB.

PERFIL MODERADO

O perfil moderado é o ponto de equilíbrio entre o conservador e o agressivo. As pessoas com esse perfil aceitam arcar com um risco médio, ou seja, em algumas situações estão dispostas a aceitar algum tipo de risco para alcançar certa rentabilidade. Ainda assim, a segurança é tema recorrente. Essas pessoas costumam investir em Debêntures, Fundos de Ação, Fundos Multimercado, Fundos Imobiliários, Letras Financeiras e produtos conservadores.

PERFIL AGRESSIVO

Já o perfil agressivo, também chamado de arrojado, aceita correr riscos maiores para alcançar rentabilidades mais elevadas. Aqui entram os produtos de renda variável como Ações Derivativos, Fundos de investimento no exterior, COE e BDRs. Além disso, recomenda-se que invistam parte do capital em produtos moderados. 

PERFIL DO INVESTIDOR NO CPA-10 E CPA-20

Como você já sabe, a Análise do Perfil do Investidor é um conteúdo frequente nos exames de certificação financeira. Na prova do CPA-10, por exemplo, o módulo Ética, Regulamentação e Análise do Perfil do Investidor tem proporção de 15% a 20%. Já no CPA-20, o módulo Compliance Legal, Ética e Análise do Perfil do Investidor tem proporção de 15% a 25%.

Vale lembrar que, além de fazer a diferença na sua aprovação nas certificações financeiras da Anbima, esse é um daqueles conteúdos que vale para o exame e para a vida. Afinal, os profissionais de bancos e de corretoras de investimento têm que ter esse tema na ponta da língua! 

Se você está se preparando para a certificação CPA-10 e CPA-20, assista agora a aula sobre Análise do Perfil do Investidor com a professora Melissa Rafael e garanta essas questões no exame. Boa sorte!