Poupança não é um bom investimento. Apesar do consenso entre especialistas do mercado financeiro, a poupança ainda é a aplicação preferida dos brasileiros - sobretudo daqueles que têm pouco conhecimento sobre investimentos. Mas por que a poupança não é uma boa escolha? É disso que falaremos aqui! 

COMO A POUPANÇA FUNCIONA?

Em primeiro lugar, é importante saber que a poupança é a aplicação mais acessível para os brasileiros. Isso significa que é simples de colocar dinheiro nela - inclusive para menores de idade, desde que estes sejam representados ou assistidos por um responsável. 

Além disso, a aplicação tem liquidez diária, não possui taxas mensais ou anuais e seus rendimentos são isentos de Imposto de Renda. Até aí só temos vantagens, né? No entanto, a cada ano que passa a poupança rende menos. 

O rendimento da poupança é calculado da seguinte forma:

  • Se a Taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 0,5% ao mês mais a variação da taxa referencial;
  • Se a Taxa Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será de 70% da Selic mais a variação da taxa referencial.

A POUPANÇA RENDE MENOS DO QUE A INFLAÇÃO

Sob o ponto de vista dos especialistas, deixar dinheiro na poupança significa perder poder de compra. Afinal, o rendimento da poupança é muito próximo da inflação, e, nos três últimos anos, foi menor - o que chamamos de rendimento negativo. 

Em 2021, a poupança encerrou o ano com a pior rentabilidade dos últimos 31 anos. A inflação oficial do Brasil foi de 10,06% e, descontada a inflação, a poupança teve um rendimento negativo de 6,37%. Como consequência, houve um movimento de saques da caderneta que, segundo o Banco Central, superou os depósitos em R$ 35,4 bilhões.  

INVESTIMENTOS PARA FUGIR DA POUPANÇA

Deu para ver que, pelo menos nesse momento, a poupança não é um bom lugar para deixar o dinheiro, né? Existem uma série de investimentos de renda fixa que podem trazer boas alternativas para os investidores - inclusive os mais leigos. Veja aqui algumas sugestões:

CDBs

Os CDBs são um dos investimentos de renda fixa mais escolhidos pelos brasileiros que fogem da poupança. Podemos dizer que quem compra um CDB faz um empréstimo para a instituição financeira em troca da remuneração. Os CDBs podem ser pré-fixados, pós-fixados ou atrelados à inflação. 

LCI e LCA

Aqui está outro investimento para quem quer deixar a poupança para trás. O LCI e LCA funcionam de maneira semelhante aos CDBs, mas, na maior parte das vezes, têm remuneração inferior. A vantagem é que tanto a LCI quanto a LCA são isentas de Imposto de Renda para pessoas físicas. 

TÍTULOS PÚBLICOS

Por fim, eis mais um investimento de renda fixa que pode despertar o interesse de quem quer sair da poupança. Na prática, quem compra títulos públicos empresta dinheiro para o governo. Vale saber que investimentos atrelados à união são considerados os mais seguros do país. 

Gostou desse conteúdo? Agora que você já sabe por que a poupança não é um bom investimento, descubra quais são as principais diferenças entre bancos e corretoras. Boa leitura! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.