Conheça as 5 principais Entidades do Mercado Financeiro

O mercado financeiro é um território complexo, formado não apenas por termos diferentes dos que estamos acostumados a usar no dia a dia, mas também por instituições que exercem funções fundamentais para a economia do país. 

Conhecer essas instituições é essencial para compreender o panorama geral do mercado financeiro. A seguir, apresentaremos as principais entidades do mercado financeiro e explicaremos como cada uma delas atua. Acompanhe:

Anbima 

Você já deve ter nos visto falar bastante da Anbima, né? A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais representa as instituições financeiras do mercado, como os bancos, as gestoras de ativos e as corretoras. Entre suas tarefas está o compromisso de representar, autorregular, informar e educar.

Não é à toa que a Anbima é a responsável por certificações financeiras como CPA-10, CPA-20 e CEA.  Além de gerenciar essas certificações, a Anbima também auxilia os associados e produz informações relevantes a respeito do mercado financeiro. 

Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

A CVM é uma autarquia, ou seja, faz parte do governo e está vinculada ao Ministério da Economia, embora tenha independência administrativa. Mas o que essa Comissão faz? Ela fiscaliza, normaliza, disciplina e desenvolve o mercado de valores mobiliários no Brasil.

Cabe à Comissão de Valores Mobiliários estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários, promover o funcionamento do mercado de ações, assegurar o funcionamento dos mercados de bolsa e de balcão, proteger titulares de valores mobiliários, entre outros. 

Banco Central 

Muito conhecido como BC ou Bacen, o Banco Central também é uma autarquia vinculada ao Ministério da Economia. A entidade é responsável por garantir a estabilidade do poder de compra da moeda. Além disso, também determina a taxa de juros básica da economia.

Da mesma forma, o Banco Central supervisiona as instituições do mercado financeiro, garantindo o bom funcionamento. Em seu guarda-chuva encontram-se a poupança, conta-corrente, consórcio e títulos bancários.

B3 (Brasil, Bolsa, Balcão)

Quando falamos em B3 estamos nos referindo à Bolsa de Valores do Brasil. Trata-se de uma sociedade de capital aberto que cria e administra sistemas de negociação, compensação, liquidação, depósito e registro das principais classes de ativos, como ações e títulos de renda fixa e variável. 

Além disso, a B3 também atua como garantidora para grande parte das operações de seus mercados e oferece produtos e serviços para análise e comprovação de crédito, possibilitando a concretização de financiamentos com agilidade e respaldo.

Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

O Fundo Garantidor de Crédito, por sua vez, é uma associação civil sem fins lucrativos, formada por instituições financeiras e que serve como proteção aos correntistas, poupadores e investidores. Em resumo, atua como fundo de garantia aos clientes dessas instituições para os casos de falência, intervenção ou liquidação.

Cabe destacar que o valor máximo que o FGC garante é de R$ 250 mil por pessoa em cada instituição financeira amparada pela sua proteção. As aplicações com essa cobertura são LCI, LCA, CDB, Poupança, DPGEs e depósitos em conta corrente.

Rafael Toro

Rafael Toro

CEO e Sócio fundador da Academia Rafael Toro