Como criar e manter uma Reserva Financeira? Veja essas dicas!

Você sabia que a maioria dos brasileiros não consegue construir uma reserva financeira? Prova disso é a pesquisa Raio-X do Investidor, da Anbima, que mostra que mais de 70% dos brasileiros das classes A, B e C não fizeram investimentos em 2019 devido à ausência de emprego fixo, aos salários baixos ou ao desemprego. 

Sem dúvidas, essa é uma razão legítima, já que grande parte das famílias precisa se preocupar em fazer o dinheiro render para dar conta de todos os custos fixos mensais. A boa notícia é que existem algumas estratégias simples e realistas que podem contribuir para a criação de uma reserva de emergência. 

Se você quer criar e manter uma reserva financeira a curto, médio ou longo prazo, veja essas dicas! 

Olhe para as suas despesas

Você já parou para olhar com atenção para as suas despesas? Sabe quanto gasta por mês em água, luz e telefone? E em supermercado? Muitas vezes, o custo fixo mensal é visto como um valor estático, que deve ser pago todo o mês sem a possibilidade de ser modulado. No entanto, até as despesas recorrentes podem ser reduzidas.

Quer um exemplo? Apagar as luzes ao sair do ambiente possibilita uma diminuição da conta de luz. Além disso, negociar o valor do plano do celular com a operadora pode render a economia de alguns reais. E o valor daquele produto desnecessário do supermercado que você compra semana sim, semana não, pode somar a essas economias. 

Compare os preços 

Aqui entra outro ponto essencial para quem quer fazer sobrar um dinheiro no fim do mês: sempre compare os preços antes de comprar. Em determinados casos, os preços dos produtos de supermercados podem variar até 25%. É muita coisa, né? O mesmo vale para as farmácias, que praticam valores bem distintos. 

Hoje em dia temos uma ferramenta muito valiosa para as pesquisas: a internet. Com ela, podemos entrar nos sites das lojas e para avaliar os custos. Você pode se surpreender com a economia que uma ação simples como essa pode proporcionar no fim do mês. Agora imagine isso sendo multiplicado pelo ano inteiro. Bom, né?

Evite comprar por impulso

As compras por impulso são as grandes vilãs quando o assunto é guardar dinheiro. Sabe aquele chocolate que fica na beira do caixa do supermercado? Está ali justamente para que você o coloque na esteira do caixa. O mesmo vale para as balas e chicletes que ficam do lado da maquininha de cartão de crédito da farmácia. 

Estamos falando de valores pequenos, mas que já fazem a maior diferença. Mas a mesma lógica vale para aquele par de sapatos que você achou lindo, mesmo que já tenha três ou quatro parecidos em casa. Essas pequenas tentações o afastam da construção da reserva financeira.

Quando bater a dúvida se realmente vale a pena abrir mão desses pequenos prazeres para juntar um fundo de emergência, lembre-se que não há conquista melhor do que poder dormir sabendo que você está protegido dos imprevistos. Foque nos seus objetivos e siga em frente! 

Rafael Toro

Rafael Toro

CEO e Sócio fundador da Academia Rafael Toro