Alta da inflação: como isso pode impactar os investimentos?

A alta da inflação foi um dos assuntos mais falados em 2021, e, conforme o cenário financeiro indica, assim seguirá em 2022. Os brasileiros já estão habituados com as notícias que destacam o clima de pessimismo no mercado do país – que segue os mesmos passos do mercado global. 

Não há dúvidas que a rentabilidade dos investimentos sofreu um grande impacto. Mas, afinal, como a alta da inflação impacta, de fato, os investimentos? A seguir explicaremos tudo para você!

A INFLAÇÃO EM 2021

Você já deve saber que o IPCA é o indicador oficial da inflação. Ele é calculado todos os meses pelo IBGE, que é responsável por monitorar os preços nas principais cidades do Brasil. Pois vamos aos números: em dezembro de 2021, o IPCA fechou em 10,06%, configurando a maior alta desde 2015. 

O IMPACTO DA INFLAÇÃO NOS INVESTIMENTOS

Todos concordam que a alta da inflação impacta diretamente nos investimentos. Mas nem todo mundo sabe como isso acontece na prática. Pois bem, para entendermos isso precisamos recorrer a dois conceitos do mercado financeiro: a rentabilidade nominal e a rentabilidade real.

RENTABILIDADE NOMINAL X RENTABILIDADE REAL

A rentabilidade nominal olha para o rendimento de um investimento desconsiderando a inflação, os impostos e as taxas, enquanto a rentabilidade real considera a inflação existente no período em que o dinheiro estava investido. 

Resumindo, podemos dizer que a rentabilidade nominal apresenta o retorno bruto do investimento e a rentabilidade real apresenta o retorno líquido, ou seja, o que realmente o investidor ganhou com aquele investimento.

Sabendo disso, podemos afirmar que para proteger o dinheiro da inflação, a rentabilidade real deve ser maior do que zero – o que parece óbvio, mas nem sempre ocorre. 

DIVERSIFICAR É SEMPRE UMA BOA IDEIA

Não é à toa que sempre falamos sobre a diversificação: essa é uma excelente estratégia para garantir uma boa rentabilidade dos investimentos e, por isso, é muito recomendada pelos profissionais do mercado financeiro. Em outras palavras, diversificar os investimentos reduz o risco das oscilações do mercado. Mas quais são os melhores investimentos para diversificar a carteira? Falaremos disso agora:

TESOURO SELIC

Os títulos Tesouro Selic são pós-fixados, com rentabilidade atrelada à Taxa Selic – taxa básica de juros da economia. São indicados para quem quer começar a investir no Tesouro Direto e/ou alcançar objetivos a curto prazo.

TESOURO IPCA+

Aqui está outro título público do Tesouro Direto. Sua rentabilidade está vinculada à inflação, oferecendo rendimento igual à variação da inflação, além de uma taxa pré-fixada de juros. 

CDBs ATRELADOS À INFLAÇÃO

Os CDBs podem seguir um modelo de remuneração mista, recebendo como retorno uma porcentagem pré-fixada e outra pós-fixada. Essa última geralmente é vinculada ao IPCA, índice que mede a inflação.

Como você pode ver, a inflação tem influência direta no resultado dos investimentos, mas com conhecimento de mercado é possível fazer escolhas equilibradas para reduzir os riscos. 

Se você gostou desse conteúdo, acesse nosso blog e leia mais sobre o mercado financeiro!

Rafael Toro

Rafael Toro

CEO e sócio fundador da Academia Rafael Toro