6 maneiras de ensinar sobre Educação Financeira para as crianças 

Você já parou para pensar que os adultos lidariam melhor com o dinheiro se fossem ensinados desde a infância? Existem muitas maneiras de incluir os pequenos no mundo das finanças, sem que isso seja chato ou inadequado para a idade. A seguir, apresentaremos 6 maneiras de ensinar Educação Financeira para as crianças. Confira!

1. OFERECER UMA MESADA

Não há dúvidas de que mesada é a forma mais conhecida de ensinar as crianças a lidarem com as finanças. Essa pode ser uma excelente estratégia para que os pequenos aprendam sobre o valor do dinheiro e a importância de economizar para realizar aquele sonho.

Na prática, os pais ou cuidadores devem estabelecer um valor para dar todo mês. Essa quantia precisa estar de acordo com a capacidade financeira da família. 

2. INCLUIR A CRIANÇA NO PLANEJAMENTO FINANCEIRO 

É claro que o planejamento financeiro familiar é responsabilidade dos adultos, mas a participação dos filhos nessa tarefa pode ser uma boa forma de ensiná-los sobre consumo consciente e saúde financeira. 

Uma forma interessante de conduzir isso é mostrando uma planilha com os custos mensais da família, como mensalidades de escolas, água, luz, telefone, supermercado, etc. Esta ação também pode dar espaço para a criança aprender a reduzir estes gastos, seja apagando as luzes ou tomando um banho mais curto. 

3. BRINCAR 

É sempre bom aprender brincando! Aquelas simples caixas registradoras de plástico, que fizeram parte da infância de muita gente, são excelentes para brincar de mercado. Assim, a criança terá que criar preços para os produtos, calcular o troco e entender que só sobra dinheiro quando há organização financeira.

Também existem jogos para os maiores, como Banco Imobiliário ou Monopoly, que podem render muito aprendizado e diversão.

4. CONTAR HISTÓRIAS

Crianças gostam de ouvir histórias, não é mesmo? Por que não aproveitar esse momento para ensinar um pouquinho sobre o cuidado com o dinheiro? Isso não precisa ser feito de uma maneira pesada… Pelo contrário: existem histórias leves e divertidas sobre o tema! 

Um exemplo é a clássica “A Cigarra e a Formiga”, que mostra que sem esforço não há sucesso. Os livros “Como se fosse dinheiro”, da Ruth Rocha, e “Almanaque Maluquinho – Pra que dinheiro?”, do Ziraldo, também são ótimos. 

5. ENSINAR ATRAVÉS DO EXEMPLO

Aqui está um ponto muito importante: o exemplo é o melhor professor. Se uma família quer que seus filhos aprendam sobre a importância de cuidar do dinheiro, devem gerir suas finanças com seriedade.

A verdade é que nenhuma das estratégias que falamos até agora será eficiente se, no dia a dia, os pais gastarem mais do que ganharem.

6. APRENDER COM ERROS

Nem sempre a criança vai conseguir gerir o dinheiro da maneira ideal. E essa situação pode servir justamente para que os responsáveis conversem e mostrem de que forma ela poderá fazer numa próxima vez. 

Lembre-se que errar também é uma forma de aprender. Por isso, se o pequeno usou o dinheiro para comprar um jogo de tabuleiro e ficou frustrado por não conseguir comprar um carrinho, os pais devem deixá-lo lidar com a frustração e ensiná-lo a planejar melhor.

Rafael Toro

Rafael Toro

CEO e sócio fundador da Academia Rafael Toro