https://www.academiarafaeltoro.com.br/

Conhece a regra 50-30-20? Descubra como ela pode ajudar suas finanças!

A organização financeira é um tema recorrente na vida de muitos brasileiros e, a bem da verdade, deveria fazer parte da rotina de todos. Apenas com o dinheiro em ordem é que é possível pagar as contas, fazer aquela reserva de emergência e ainda realizar planos e metas.

Muitas pessoas até querem se organizar com as finanças, mas não sabem por onde começar. Pensando nisso, apresentaremos o método 50-30-20, que ajuda a entender quais são os gastos essenciais e a evitar o comprometimento com contas que poderiam ser cortadas. Confira aqui: 

O que é a regra 50-30-20?

A regra dos 50-30-20 nada mais é do que uma estimativa da quantidade de dinheiro que idealmente deve ser direcionada para cada tipo de gasto. Ela é organizada em porcentagem e a sua soma deve alcançar o número 100. Veja aqui:

50% da renda para gastos essenciais

Em primeiro lugar entram os gastos essenciais, não é mesmo? Conforme esta lógica, a metade do salário deve ser suficiente para cobrir esse tipo de custo, que inclui o aluguel, a água, a luz, o supermercado, o transporte, etc. Em resumo, os gastos essenciais são aqueles que não podem ser cortados, embora possam, é claro, ser reduzidos – como, por exemplo, revendo a lista de compras do mercado e assinalando os itens supérfluos. 

30% da renda para gastos flexíveis

Em geral, os gastos flexíveis incluem momentos de deleite e de lazer, como, por exemplo, idas ao cinema, jantares em restaurante, delivery de comida e passeios. Além disso, compras em livrarias ou até mesmo a contratação da Netflix ou Amazon Prime entram nesse ponto. Embora esses gastos não sejam essenciais para a sobrevivência, dão ânimo para deixar o dia a dia mais leve. 

20% da renda para investir

Por fim, os 20% restantes devem ser usados para honrar o pagamento de dívidas ou para serem investidos em bancos ou corretoras. O ideal é que esse dinheiro seja retirado da conta logo que o salário entra, sem correr o risco de direcioná-lo para outras demandas que fogem do propósito inicial. 

O que fazer para sobrar mais dinheiro?

Se o seu objetivo é fazer com que sobre mais dinheiro para investir no final do mês, deve reavaliar os gastos essenciais e flexíveis. Embora contas como aluguel, água e luz não possam ser eliminadas do seu planejamento financeiro, é possível verificar a possibilidade de adotar pequenas ações para reduzi-las. 

Da mesma forma, gastos com lazer também podem ser revistos, fazendo com que sobre mais dinheiro para investimentos a curto, médio ou longo prazo, o que depende principalmente dos seus objetivos. Sem dúvidas, essa é uma maneira viável de construir uma reserva de emergência.

Além disso, se as suas despesas essenciais ultrapassam os 50% e, neste momento, não é possível reduzi-las, tente compensar diminuindo as despesas flexíveis. Desta forma, você não vai comprometer o valor direcionado para investir, que é essencial para dar um fôlego a sua vida financeira nos próximos anos.

Nome autor

Nome autor

Descrição autor