4 dicas para identificar o conflito de interesses no mercado financeiro

Você já ouviu falar sobre conflito de interesses? Isso pode acontecer nas mais variadas áreas de trabalho e, como é de se esperar, também pode ocorrer no mercado financeiro. Mas como o conflito de interesses se desenrola no mundo das finanças? 

A seguir apresentaremos algumas práticas comuns e explicaremos o que você pode fazer para se prevenir. Boa leitura! 

CONFLITO DE INTERESSES NO MERCADO FINANCEIRO

No mercado financeiro, o conflito de interesses pode ser visto quando o profissional recomenda produtos que vão de encontro com  o seu próprio interesse e não com a necessidade do seu cliente. A situação mais clássica é a do gerente de banco que oferece um título de capitalização para o correntista alegando que se trata de uma boa estratégia para o cliente, mas que, na verdade, precisa bater a meta.  

O mesmo pode ser visto na recomendação de um assessor de investimentos (remunerado com o percentual da corretagem) que apresenta um investimento robusto para o cliente porque tem uma necessidade financeira que deve ser suprida a curto prazo. 

E aqui entra um ponto importante: não é um problema que o gerente do banco ou o assessor de investimentos tenham ganhos sobre os produtos que indicam. O problema é se eles indicarem produtos pensando nos ganhos que vão ter. 

COMO IDENTIFICAR O CONFLITO DE INTERESSES? 

A boa notícia é que o cliente pode identificar situações de conflito de interesse sem aderir a investimentos que não são estratégicos para o seu perfil. 

Veja aqui 4 dicas para se prevenir do conflito de interesses: 

1. CONHEÇA O MERCADO FINANCEIRO

Esse ponto vale para todo mundo que quer investir – e não apenas para quem pretende identificar o conflito de interesses. Estamos falando de um conhecimento básico, que envolve os principais termos do mercado financeiro, tipos de investimentos e formas de resgate. Assim poderá fazer as melhores escolhas e desconfiar quando alguma informação parecer inconsistente. 

2. PERGUNTE TODAS AS SUAS DÚVIDAS

Não tenha vergonha de questionar o seu gerente ou assessor de investimentos quando tiver dúvidas sobre alguma recomendação. Você precisa estar seguro antes de optar por algum investimento e, para isso, precisa entender todos os pontos que envolvem a sua decisão. A própria resposta do gerente ou do assessor fará com que você sinta confiança ou desconfie que algo não está certo.

3. ESCOLHA INSTITUIÇÕES REGULAMENTADAS

Esse item é essencial para reduzir o risco de entrar numa fria. Os ambientes regulamentados seguem regras que envolvem a ética e a transparência. As fraudes de pirâmides financeiras, por exemplo, ocorrem em instituições que não estão devidamente regulamentadas. Para conhecer as instituições confiáveis, consulte o site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

4. CONSULTE AS CERTIFICAÇÕES DOS PROFISSIONAIS

As certificações financeiras funcionam como um selo que qualifica o profissional para atuar no mercado financeiro. Por isso, nada mais justo do que saber que certificações o seu gerente ou assessor tem, né? Em geral, essa informação está junto com a assinatura do e-mail, mas se não tiver, pergunte. 

E já que falamos de conflito de interesses, que tal conhecer as principais fraudes do mercado financeiro? Clique aqui e descubra!

Rafael Toro

Rafael Toro

CEO e sócio fundador da Academia Rafael Toro